Sonho que some

Eu já não sei
Tudo que pensei
Nem tentei

Porque passou
Sem a atenção chamar
Se jogou em um mar
De pensamentos que deixei
Porque neles não me encontrei

O que chega a costa
É sequestrado pela ressaca
A única coisa exposta
É o volume do nada
E o que me importa
Continua uma charada

Meus olhos tocam o horizonte
Refletem a fome
De estar distante
Desse sonho que some

~

É opressivo pensar que tudo deve dar certo
É pedir que o suspiro encha o peito
É dizer que o que digo não tem efeito
É garantir que a razão não estará por perto
É ficar repleto de um vazio discreto
É apontar como pobre o que nos faz completo
Perplexo incerto coberto dum estar descoberto